sábado, 5 de novembro de 2011

Mitos ou Fatos?

Trecho do livro 80 Fiv Cats, reprodução autorizada pelos autores

Muitos mitos surgiram em torno da Fiv. Embora eles estejam sendo gradualmente superados pela verdade, ainda existem muitas pessoas que não aprenderam e perpetuam esses mitos


Existem muitas situações em que podemos nos deparar com a Fiv. E, infelizmente, nem sempre as informações que recebemos são corretas.

A maioria dos gatos com Fiv é muito saudável. Eles apenas têm um vírus que, muito lentamente, afeta seu sistema imune. Mas pode levar muitos e muitos anos até que isso tenha alguma consequência.

A maioria dos gatos portador do vírus da Fiv nunca terá Aids; eles levam vida normal e podem morrer de causas naturais como qualquer outro gato.

Por ser um vírus extremamente lento, pode levar muitos anos até que cause algum efeito, e na realidade muitas vezes nem chega a esse ponto. Gatos com Fiv não vão adoecer mais do que gatos sem Fiv. Se um gato Fiv positivo fica doente, na maioria das vezes isso não tem relação com o vírus.

Fiv não passa na convivência pacífica – ela é transmitida através de mordidas profundas. O vírus está presente na saliva mas tem vida curta fora do corpo. Então, apenas quando injetado (pela mordida) diretamente na corrente sanguínea de outro gato é que ele é transmitido

Fiv não se transmite ao compartilhar potes de comida ou nos banhos mútuos. Mesmo que o vírus chegasse até a boca de um gato negativo, ele ainda teria que atravessar a mucosa para chegar na corrente sanguínea.


Se o gato Fiv + não briga, ele não passa o vírus para outros. Existem muitos exemplos de casas com gatos positivos convivendo com gatos negativos por muitos anos sem que a transmissão do vírus tenha acontecido
Em geral, gatos positivos morrem com o vírus, não por causa dele


Um bom exemplo do quão difícil é o vírus chegar até a corrente sanguínea são os filhotes nascidos de mãe Fiv +. O vírus está presente no leite materno e os filhotes não costumam contrair o vírus.


Se lhe disserem que um gato Fiv + (que está saudável) precisa ser eutanasiado por causa da Fiv – NÃO O FAÇA! E se foi um veterinário que lhe disse isso, por favor, MUDE DE VETERINÁRIO!


Esse é um caso extremo mas, infelizmente, ainda acontece. Tudo o que já dissemos aqui deveria deixar claro porque eutanasiar um gato Fiv (apenas por ser portador do vírus) é, em nosso ponto de vista, imperdoável.


A única razão para abreviar a vida de um gato Fiv deveria ser se ele estivesse sofrendo muito de alguma doença que não tivesse tratamento. Exatamente como qualquer outro gato.


Harry nos apresentou à FIV



Ele veio em 1997 acompanhado de Bobby, que supomos ser seu pai, quando a senhora que o alimentava na rua mudou para o Canadá. Nós capturamos Harry na véspera da viagem e levamos ao veterinário

Ele iria para uma colônia de gatos ferais mas a funcionária da clínica bateu na nossa porta dizendo que a colônia não iria aceitá-lo porque ele era Fiv positivo.


Mal sabíamos nós, quando decidimos acolher Harry e seu pai, como aquilo mudaria nossas vidas. Nossas e dele. E como isso permitiria a muitos outros gatos com Fiv ter uma vida de fato, ao invés de serem eutanasiados

No início, Harry estava aterrorizado. Levamos dois ou três meses para ganharmos sua confiança. Mas ele tinha a natureza mais doce que já vimos e se tornou o mais afetuoso dos gatos

Embora ele tenha tido problemas respiratórios antes de vir morar conosco, ele gozou de boa saúde por todos os anos que esteve conosco, precisando apenas de tratamento dentário


Barbara dizia para ele, olhando o restante do santuário “ Você é responsável por tudo isso!”

Harry foi escolhido pelo sr. Davies, que se tornou padrinho do santuário, e o chamava de “deus gato”. Sr. Davies vinha de ônibus visitar Harry, geralmente com uma sacola de peixe que dividia entre os gatos no jardim. Harry e seus amigos certamente adoravam essas visitas!


Harry viveu conosco por 8 anos na ala dos Fivs, faleceu em fevereiro de 2005 – nosso querido Harry, que começou o trabalho dos Fivs, morreu dormindo depois de ter ficado doente apenas por um dia. Nosso primeiro exemplo de Fiv mostrou que o mito sobre gatos com Fiv serem gatos doentes era apenas isso, um mito.

Curiosamente, o sr. Davies viveu apenas algumas semanas a mais que Harry e faleceu da mesma maneira que ele. Nós temos lembranças muito carinhosas de ambos.



Os posts publicados com o marcador Fiv são trechos do livro 80 Fiv Cats, do santuário inglês Catwork. Esse livro não é um estudo científico. Ele é baseado na experiência de 15 anos cuidando de gatos portadores do vírus da imunodeficiência felina.

4 comentários:

t disse...

Achei que, provavelmente, não se importaria mas é bom informar-vos de qualquer modo. Estou a divulgar esta página juntamente com a divulgação para adoção dos "meus" gatitos fiv +.
Há muita desinformação dobre fiv+, infelizmente.. :(
Boa sorte para os seus meninos*

t disse...

Quase esquecia. Convém acrescentar que venho daqui:
http://canisfelisfelizes.blogspot.pt/

Patrícia disse...

Obrigada pela visita

Lindos seus gatinhos, ficarei torcendo por cada um deles :)

Vivian Cristina Stahlke disse...

Descobri que tenho uma gatinha fiv+ ela adoceu fivou muito fraca a minha gata mais velha conseguiu doar o sangue para transfusão pois não foi contaminada. Já faz uma semana e sua recuperação está ótima sabemos que ela terá sempre cuidados especiaos eztamos fazendo o possível para que ela viva bem.