terça-feira, 23 de setembro de 2014

Carta à Narizinho

Narizinho,

Sinto muito não ter tirado você do cemitério antes, não ter tido a chance de tratar o tumor no início e não ter conseguido oferecer um tratamento mais completo.

Sinto por todos os anos em que você viveu naquele cemitério.

Sei que você gostou de ter uma cama e um travesseiro para dormir nos últimos meses. Que gostava de tomar banho de sol e ter, finalmente, um lar. Ainda que temporário.

Saiba que você nunca deixou de ser uma gatinha linda, mesmo com o tumor deformando seu rostinho.

Agradeço a Deus por você ter partido em paz, no seu tempo e sem sofrimento.

Espero que exista um céu dos gatinhos e você esteja agora brincando com seus amiguinhos.

Descanse em paz, minha menina. Seja feliz por toda a eternidade.


3 comentários:

Karina disse...

:(
Brilha estrelinha!!!

Daniel Savio disse...

Que ela descanse em paz...

Fique com Deus, Patrícia.
Um abraço.

Ana Oliveira disse...

Voa lindinha...